Pensações

Pensações

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O mundo que eu criei pra mim

Guardo meus retratos
E minhas lembranças
No mundo que eu criei pra mim

Acendo a luz
Para apagar a noite
E, assim, enxergo melhor

A vida é muito curta pra aprender alemão
E muito pequena
Pra desaprender os defeitos meus

Às vezes, o sol não nasce para mim
Então, posso me esconder
No muundo que eu criei pra mim

Ligo o som baixinho
Para só eu mesma
E repito juntinho....lá...lá...lá...lá...lá...lá

Os meus livros
Meu Vinicius
Minhas armas de purificação

Protejo meus inimigos
E como frutas que só existem
No mundo que eu criei pra mim

Guerreira
Filha de São Jorge com Oxum
Pecados eu escondo no banheiro

Desenho no ar
A casa onde vou morar
E, assim, diluo minhas mágoas

Espero meus amigos na porta
Pois só eles conseguem adentrar
O mundo que eu criei pra mim

Tenho árvores como amigas
E elas sempre perguntam onde estão suas irmãs
Estão no mundo que eu criei pra mim

Contemplo o horizonte
E procuro onde nascem os arco-íris
Um dia vou achar

Os meus enganos perfeitos
Acerto comigo mesma
Mas a vida é, também, a arte do engano

Imagino quadros
Para pendurar nas paredes
Do mundo que eu mesma criei pra mim

2 comentários:

Eduardo disse...

Me identifico muito com seu mundo,
porém o meu próprio é demasiado singular.

Despertaste em mim a sede de vinícius. Grande beijo.

Ed.

Evelyne de Oliveira disse...

lindo poema amiga...vc, como sempre, sensível..bjo