Pensações

Pensações

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Nas noites de lua cheia

As noites de lua cheia
São feitas de pó de rede no ar
Molduras de quadros roubados

As noites de lua cheia
Têm sombras dos meninos da areia
Cinzas das fogueiras da inquisição

As noites de lua cheia
São grávidas de sonhos mundanos
Apóstolos da ceia do botequim

As noites de lua cheia
Têm bancos de nuvens invisíveis
Balanços de sorvete de creme

As noites de lua cheia
São casadas com o nada do balanço das folhas
Com a volta da interrogação

As noites de lua cheia
Escondem duendes nas escadas
Raios de estrelas encantadas

Nas noites de lua cheia
O saci perde seu charuto
Não há traquinagem no escuro

Nas noites de lua cheia
Bruxas voam sem vassoura
Os grilos entoam versos em português

Nas noites de lua cheia
Não há medo da perda do falo
Há apenas o homem-lobisomem

Um comentário:

Rute disse...

As noites de lua cheia,
quatro bruxas a contemplar...
A lua quer pegar...
A manguaça não vai deixar...
Bjos.