Pensações

Pensações

sábado, 20 de outubro de 2007

Carta para minha irmã

Minha Branca,

Cada dia é uma taça de vinho

O tempo nos ensina muita coisa. Ouvir sua suave voz que passa como o vento no amanhecer em frente ao mar é a grande sabedoria da vida. Nunca estamos prontos. Não estamos prontos para viver, e dentro da vida, não estamos prontos para dividir com igualdade, olhar com imparcialidade, subtrair de nós mesmos pela necessidade, dançar sem nenhuma vergonha, amar sem sombra de pudor. Não estamos prontos para falar da morte, dos aviões que caem, do dia que esperávamos dar sol para a piscina, da roupa que não cabe mais, do amor que se foi, da juventude que se despede dia-a-dia, silenciosa...
Cada dia é uma taça de vinho. Viver é como o vinho. O seco, às vezes amargo ou ácido, nos parece o pior. Se alguém nos descrevesse um vinho seco, não aceitaríamos tomar nem um gole.Teríamos a sensação de que não agrada ao paladar, afinal, não é doce. Só provando mesmo para saber. Mas quando amaduremos, experimentamos aquele vinho que antes nos fazia apertar a língua e conseguimos entender sua generosidade. É o melhor acompanhamento de uma refeição, é tempero para carnes e molhos suculentos, é objeto de estudo e interesse geral. Diferente do suave, que tem gosto doce e agradável, que quando jovens nos parecia a melhor opção, o vinho seco é, cada vez melhor, quanto cada vez mais velho. São como nossos dias...
O vinho suave é doce...mas não combina com quase nada, não forma par perfeito com as refeições, não tem variáveis infinitas, não tem multiplicidade, as diferenças entre eles são poucas. Por isso, nem sempre o que é doce é o melhor. São como os dias.
O sábio é aquele que saboreia o vinho. Interessa-se por sua safra, o tipo de uva, sua cor, sua densidade, seu corpo. Ele quer a diferença, ele quer novos cheiros, ele quer atiçar os sentidos. Um só sabor não permitiria tal façanha.
E a melhor parte disso tudo é quando conseguimos conceber que o bom da vida é isso. Não teria graça alguma tomar apenas vinhos doces. Iríamos enjoar. Alguns dias são doces...
Há dias secos e demi-secos. Vivemos com o único propósito de evitar a todo custo os dias secos. Mas eles são como esse tipo de vinho. No final, percebemos que foram os melhores, nos interessamos por eles e incorporamos a certeza de que mesmo apertando a guela, assim como o choro preso, no final saímos mais enriquecidos.
Todas as pessoas já viveram dias demi-secos. Um pouco de dor, um tanto de tédio, uma colher de brigas, uma porrada na boca do estômago, uma gripe, a ressaca. Os sábios tiram dele algum proveito também. E como disse lá em cima, sábio é quem escuta o tempo.
Escutar o tempo, bebendo nossos dias como taças de vinho seco. Um par perfeito, como um tinto seco e uma massa ao molho sugo.

Um comentário:

Rute disse...

Parabéns,
Evolução é isto saber contemplar os dias secos, tirando todo aprendizado possível.
Espero que as pessoas com quem vc convive, saibam contemplar quão sábia és tú. Dias secos virão, espero que ela saiba saborear contigo este amor eterno.
Bjos.