Pensações

Pensações

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Gente de branco

Médicos são gente de branco
Gente que no dia da dor
São o pai, a mãe e o irmão

É tempo e ação

É gente que diante de um olhar medroso
Da fragilidade do corpo
Doa sua noite sem contestação

Entre livros, princípios ativos, carne e osso
Conversa francamente com a vida
E o seu fim

Médico é gente que a cada receita assinada
Reafirma sem meias palavras
Que a vida é o mais importante!

É pressão e semblante

Médico é mesmo aquele
Que no lugar do comprimido
Empresta o ouvido

É pulso e temperatura
É odor e tato
É branco, preto ou descaderado

Médico é ciência e amor
Profissão sem pudor
Para acabar com a dor.

Um comentário:

Rute disse...

É isso aí Polly, mais do que merecido. Sem contar que me acabo com os causos que ele conta. Se existe profissional coerente e competente se resume a ele. Bjos